Crônicas das coisas mínimas e desnecessárias | Por Samarone Lima

Apresentação


Oficinas


Livros


Artigos recentes


Comentários Recentes


Aproximações


Destaque


Calendário

fevereiro 2010
D S T Q Q S S
« jan   mar »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28  

Arquivos


Usuários online

2 Usuários Online
Leitores:

1 Caranguejo
1 Escafandrista

Quem lamenta sou eu, presidente

25 de fevereiro de 2010, às 12:02h por Samarone Lima
Orlando Zapata

Orlando Zapata

Em janeiro de 2008, voltei de uma viagem a Cuba que durou um mês, que resultou em um livro (Viagem ao Crepúsculo, Editora Casa das Musas). Naquele janeiro, o presidente Lula visitou a ilha, e acompanhei a mobilização de dezenas de estudantes de Medicina brasileiros, para tentar uma audiência. Em pauta, a revalidação do diploma. O máximo que conseguiram foi falar com o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.

Nos jornais e rádios estatais, a visita foi cercada de silêncio. Lula chegou, encontrou com o velho amigo Fidel, tirou fotos, tudo muito divertido e afável. Entre os muitos amigos cubanos, havia um ranger de dentes. Uma raiva interior confessada em palavras baixas. Lula jamais deu uma palavra sobre prisões de dissidentes, violações de direitos humanos, a absoluta falta de liberdade que impera na ilha.

Desta vez, Lula chegou a Havana no fim da agonia de Orlando Zapata Tamoyo, de 42 anos, um bombeiro hidráulico e prisioneiro de consciência. Após 85 dias em greve de fome, ele morreu. À noite, no necrotério, sua mãe, Reina, deu um breve e comovente depoimento, uma indignação dolorosa e profunda.

“Eu digo ao mundo. Esta é a minha dor. Meu filho foi torturado durante todo o período em que esteve preso. Foi assassinado”.

Depois de relatar as torturas sofridas pelo filho durante todo o período em que esteve preso (desde 2003), ela não esqueceu dos demais infelizes que ousaram levantar a voz contra o regime:

“Que exijam a liberdade dos demais presos e demais irmãos”.

O depoimento da mãe pode ser escutado no blog da única voz possível vindo de Cuba, a blogueira Yoani Sánchez  (www.desdecuba/generaciony)

Forçado pelas circunstâncias a falar  sobre a morte de Orlando, Lula respondeu assim:

“Lamento profundamente que uma pessoa se deixe morrer de greve de fome. Pelo amor de Deus, ninguém que queira fazer protesto peça para eu fazer greve de fome, que eu não farei mais”.

Quem lamenta sou eu, presidente. A circunstância da visita permitiria, pela primeira vez, que uma voz reconhecida mundialmente trouxesse à tona um dos maiores crimes cometidos pelo regime cubano – a perseguição implacável a qualquer voz dissidente, tratados como “mercenários financiados pelos Estados Unidos”. No mínimo, uma negociação pela libertação dos que estão com graves problemas de saúde, os mais velhos, para que possam morrer perto dos parentes.

Lamento que a vítima, um bombeiro hidráulico passe de vítima a culpado. Claro, ele “se deixou morrer” na greve de fome.

Havia uma carta dos dissidentes, que deveria ser entregue a Lula. Ele não recebeu e explicou o seguinte:

“Eu não recebi carta nenhuma. As pessoas precisam parar com o hábito de fazer cartas, guardar para si e depois dizer que mandam para os outros”.

Tristeza, decepção, indignação. É o que sinto pela morte de um preso de consciência, após a agonia de 85 dias, e pelo que diz o presidente do meu país, com palavras que passam pela vulgaridade. Um homem que tem planos de ser um estadista mundial, que pretende mediar conflitos.

Mas vai uma confissão. Essa postura de Lula não é nenhuma novidade para mim, bem como o profundo, meticuloso e inabalável silêncio de praticamente todas as pessoas esclarecidas e de esquerda no Brasil sobre a realidade cubana.

Após o lançamento do meu livro, que mostra a vida cotidiana, o sofrimento, a penúria e repressão naquela ilha, participei de vários debates. Há os defensores radicais do regime, que me apontam o dedo e dizem que não vi os avanços em saúde e educação. Há dedos em riste, acusadores, as famosas perguntas, se vi crianças nas ruas, se vi mendigos.

Em nenhum dos debates, algum defensor ardoroso perguntou ou falou sobre esta palavra que me move diariamente, e com a qual caminharei até o último dia: Liberdade.

Os cubanos não são livres. Não podem sair do país. Não podem criticar o regime na fila do pão, sob o risco de serem rapidamente presos pelos infiltrados, e condenados a 20, 30 anos de prisão, após julgamentos rápidos. Não podem escrever um artigo para publicar no Granma, pedindo respeito aos direitos humanos.

Conheci de perto a azeitada máquina repressiva cubana. A rigorosa cobrança da identidade aos jovens mulatos. Os infames “Comitês de Defesa da Revolução”, verdadeiras máquinas de vigilância e delação, instalados em todos os bairros. Escutei relatos sobre a vida nas prisões de Cuba, por uma mulher admirável, que me hospedou, enquanto juntava os trocados para visitar o filho preso, a cada 15 dias.

O que está acontecendo em Cuba é uma tragédia humana que um dia será contada. A Anistia Internacional calcula em mais de 200 presos de consciência. Não mataram, não roubaram, não desviaram dinheiro. Ousaram falar, escrever, questionar.  

Orlando Zapata Tamoyo passou por uma longa agonia, e morreu às vésperas da chegada de um presidente que foi preso porque liderou operários, em busca de liberdade.

Zapata não se deixou morrer, presidente Lula.

Ele tinha a mesma fome que tenho, e que jamais saciou: de liberdade.

Postado em Crônicas | 33 Comentários »

33 Comentários

  1. Magna Disse:

    Sama, acho que o dia hoje é mesmo de choro, pois o que sinto é só tristeza, lamento…
    Em plena leitura do Viagem, fico aqui me perguntando onde é que as pessoas perdem o caminho, onde é que elas passam de lutadores por justiça, liberdade a cúmplices de arbitrariedades e até, porque não dizer, de assassinatos. Queria saber. Talvez até pra nunca nunca correr o risco de fazer o mesmo, pois estou começando a descobrir, no alto dos meus 40 anos, que o único mundo que posso mudar é o meu próprio, naquilo que ele precisa.
    Há algum tempo sabemos que a tão famosa busca pela felicidade é uma baita ilusão, quando se pensa no próprio umbigo, quando não se olha pro lado. Ilusão, mentira, pobreza interior e uma baita burrice.
    Porém, acredito, com todas as minhas forças, que sempre vão existir pessoas justas, generosas (como Celeste) e isso faz tudo ter sentido.
    Sigamos.
    Agradeço a Deus sofrer de indignação, porque é sinal que estou viva.
    Beijo!
    Magna

  2. ... Disse:

    grande Sama…

  3. Luisiana Lamour Disse:

    Oi Samarone
    Muita tristeza e indignação, repito: só defende Cuba quem vai de turista, quero ver viver a realidade de lá e sofrer com a falta de liberdade , de dignidade.Choro por Zapata, por sua mãe ,pela dor do povo cubano, e que vergonha, mais uma vez , da nossa representação lá fora.
    Luisiana

  4. capilé Disse:

    Vamo também devagar galera, de uma hora para outra Lula tem que resolver os problemas do mundo todo, mediar todos conflitos, estar a par de tudo que acontece além do Brasil, no mundo. Vocês não acham que é jogar muita responsabilidade nas costas de alguém, de uma pessoa apenas? E nós, o que cada um de nós está fazendo para ajudar os vários “Zapatas” ao nosso redor? Você mesmo Sama, comentou uma vez que acreditava em Cuba e na Revolução, mas, após viver tudo bem de perto é que pode ter uma opinião formada sobre a realidade daquele povo. Que Zapata descanse em paz e que sua morte não seja mais uma em vão.

  5. Fabiana Disse:

    Quem é livre, pergunto. Quem??? Nós, brasileiros? Podem os nossos excluídos – que são a maioria invisível de nosso país, sair do país? Com que dinheiro? E falar o que sentem? Quem os ouve? E falemos então dos direitos humanos dos países ditos “livres” e “democratas”: não há tortura nas suas prisões? Nem mortos?

  6. Ana de Fátima Disse:

    Eu lamento muito mesmo a morte de Zapata e tb lamento muito a declaração do nosso presidente….

    É uma grande decepção tudo isso.

  7. Lula Couto Disse:

    Texto Maravelhoso Samarone

    Vamos fazer uma corrente, mandar seu texto para todos os blogs, jornais etc.
    É fundamental criticarmos essa esquerda que legitima a ditadura cubana. Ditadura, tortura, repressão são crimes contra a humanidade, independente da cor do governo, independente da ideologia. Presos de consciência, isso não pode existir em qualquer lugar do mundo.
    Lamentável a postura do presidente Lula. Sempre votei nele e, até hoje, achava que iria repetir meu voto. Mas essas declarações foram desastrosas, não demonstrando o mínimo de respeito pelos direitos humano.
    Fiquei muito triste e decepcionado com o presidente.
    Parabéns pela bandeira que você tem levado adiante. Conte comigo.

    Lula Couto

  8. Bruno Carvalho Disse:

    Tricolor,

    Não poderíamos esperar outra reação pois o “eu não sabia de nada” não é inédito neste país.
    Parabéns.

  9. Boca Disse:

    O texto denuncia e anuncia aquilo que estamos cansados de saber que são também partes constitutivas de um ser humano: a ambiguidade, o conflito, recuo, o acuo, o egoísmo… Quem nunca sentiu ou viveu isso, que atire a primeira pedra. Por outro lado, não acredito que o texto sugira uma transferência de realidade, de responsabilidade ou que esteja condenando o presidente Lula a ser o salvador de todas as pátrias, a “panacéia do mundo”, mas que ele como um “representante da esquerda”, alguém que sofreu na pele o cerceamento da liberdade, das idéias, tivesse um pouco de compaixão e compreensão diante de um outro alguém que, suprimido daquele direito primordial, pessoal, instransferível e inalienável, estivesse sofrendo também; que tivesse outra postura diante de um problema dessa magnitude; já que é um porta-voz para o mundo, e usasse oportunamente esse poder que ele tem, para minimamente confrontar o “amigo Fidel”, e seus asseclas, e que eles comecem a perceber o absurdo dessa ditadura, desse autoritarismo a quem submetem a Ilha, e os moradores dela, que não são figurinhas do governo, ou visitantes convidados, enfim…. Que é uma atitude estúpida e que causa estupefação, ah, é sim. Partindo do princípio de que o nosso presidente Lula, é uma “voz ouvida”, e teve uma história de lutas, que legitimou sua trajetória até sua primeira eleição… É sim!
    Sim, de acordo com a leitora Fabiana, temos as nossas “Cubas”, os nossos “Haitis”, nossas “Äfricas”, e todas as misérias que assolam o mundo… Não estamos conseguindo nem resolver os nossos mais graves e imediatos problemas….

    Esse seu/nosso lamento, Samarone, só vem fortalecer o meu sentimento particular acerca do texto “Previsões e anotações”, que sem nenhuma pretensão, desenha, projeta e provoca reflexões sobre que sociedade estamos construindo e que pessoas estamos sendo e colaborando para que os outros sejam.

    Ótimo texto, e parabéns mais uma vez pela coragem de meter a mão na casa de marimbondos.

    Abrazo!

  10. Boca Disse:

    Onde tem a quem, leia-se: A QUE!

  11. Srta Amabela Disse:

    Caro Samarone, antes de resolver os problemas de nossos vizinhos, olhemos para os nossos problemas.

    De que adianta mandar donativos para as vítimas do terremoto do Haiti, se há tantos famintos e desabrigados em nosso Brasil, se lascando com os mesmos problemas sem sequer serem vítimas de um terremoto?

    De que adianta fazer essa corrente para libertar os presos de consciência em Cuba se há tantos muitos aqui, debaixo de nossos narizes, que têm não apenas sua liberdade tomada, eles que não fazem greve de fome, mas ainda assim morrem de fome.

    Olhe pro seu lado, ajude o seu vizinho, esse mendigo que está morando nas ruas, quase morrendo de fome e lutando pela sua vida. Não dá pra querer salvar o mundo fingindo que na sua casa não há esses problemas e querendo que o chefe da família se dedique aos problemas de outras pessoas sem antes dar atenção aos problemas de sua própria família.

    O que você fez por esse Zapata? Nada! Foi à cuba para ajudá-lo? Não! Foi para passear. O que você faz pelos brasileiros que vivem em situações desumanas? Para se chegar num campeonato mundial é preciso antes passar pelos campeonatos estaduais, nacionais… não se começa uma casa pelo telhado.

  12. Suyene Carvalho Disse:

    Lula, enquanto presidente do maior país da América do Sul TEM a obrigação de se posicionar frente ao que acontece a Cuba, mas não o faz por um simples motivo: ele é um FROUXO!!!

  13. Suyene Carvalho Disse:

    Lula e Cuba a parte: adorei ter duas postagens no site, muito bom entrar aqui e ver crônica nova todo dia, ainda mais duas vezes ao dia. E a vida segue…

  14. Luisiana Lamour Disse:

    Oi Samarone
    Acho muito saudável esta participação dos leitores, procurando, claro, manter o respeito.
    Você fez e está fazendo sim pelo povo cubano.Teve a coragem de ir , não como turista, mas vivenciando o dia a dia do povo cubano.E mais, tem a coragem de revelar o que viu, de forma clara, simples,objetiva, o que a gente não conhece de Cuba.Quem leu seu livro entende que vc não foi apenas passear, está claro, aliás , eu não gostaria de passear desta forma.
    Ah, transmitir conhecimentos tb é fazer pelo próximo, pois só com conhecimentos podemos querer e procurar mudanças, e vc, Samarone, amplia os conhecimentos, a educação, portanto, FAZ!
    Luisiana

  15. naire Disse:

    Tem muita coisa pra gente se indignar neste mundo, infelizmente. Gente que morre de fome, de bala, de tristeza e, até por amor a uma causa.Aqui mesmo, juntinho da gente, acontece isso todo dia. Leiam “Nossos Haitis” e comprovem a cruel realidade dos aprisionados pela miséria.
    http://jc3.uol.com.br/jornal/2010/01/31/not_364435.php

  16. Hérlon Fernandes Gomes Disse:

    O que podemos fazer é lamentar e esbravejar pelo mundo nossa indignação. Claro que gostaríamos de uma posição ao menos mais humana do nosso presidente Lula. Sabemos do receio que o mesmo tem diante de toda a comunidade política internacional, num momento em que o Brasil é “a bola da vez”. Claro que isso não justifica uma omissão. Mas também, concordando com o comentário de Capilé acima, não devemos esperar de Lula um bálsamo para todas as dores. Devemos, sim, cobrar de todos os líderes políticos uma posição mais delimitada em favor dos nossos irmãos cubanos! Este artigo tão bem elaborado é uma bandeira em riste de protesto!

  17. samarone Disse:

    Amigos, obrigado pelos comentários, impressões, avaliações. Sem esse debate, a gente fica às vezes só repetindo coisas já ditas.
    Um abraço,
    samarone

    ps. lançamento de Viagem ao Crepúsculo quinta feira, dia 4/03, em Natal-RN, no bar Prozac.

  18. Sérgio Quixadá Disse:

    É interessante que quando se revela a ditadura cubana, alguém diz: E os problemas do país? Ora, o tema do tópico é a viagem de Lula a Cuba. E reconheço que você, Samarone, já sobejamente denunciou nossas mazelas nacionais. É um absurdo vermos nosso presidente abraçar a dinastia Castro. Dinastia, sim, Cinqüenta anos no poder e quando sai entrega ao irmão. Conheci também muitos cubanos que me relataram a penúria e falta de liberdade que vitima aquele pobre povo. Sempre me considerei de esquerda e vejo nossa esquerda subir ao poder e incensar tiranos. Um dia torci por Fidel. Hoje, reconheço que Fidel é o cavaleiro que foi salvar a donzela e se casou com o dragão. E aqui mesmo, no conforto do socialismo de discurso, alguns esbravejam contra a ousadia de questionar o amado tirano. São pessoas que gostam do Fidel, não do povo cubano.

  19. roberto Disse:

    Querido Sama. Pelo amor de Deus, defender um cubano que morre de greve de fome por falta de liberdade de expressão é chique e gera polêmica; porém, protestar pela morte de brasileiros, todo dia, não de greve, mas de fome, é comum e ordinário, não merece notas nem considerações. Olhem primeiro para sua casa, depois a do vizinho!

  20. Sérgio Quixadá Disse:

    Chique, Roberto?
    Reclamar da tirania cubana é “coisa de burguês”? Isso se chama DEMOCRACIA.
    Leia as outras crônicas do Samarone e você vai ver o quanto ele denuncia nossas mazelas sociais. Mas, cá pra nós: Um aposentado ganhar em Cuba 10 doletas por mês? Conheço professores que fizeram greve por melhores salários (e eu apoiei) ganhando muito mais que os cubanos. Uma pessoa ser presa por questionar o regime ou reclamar que tem fome? Fui contra a ditadura no Brasil e agora vou defender a de Cuba? O governo dos Castro é tão bom que não confiam fazer eleições?É fácil fazer romantismo político com o fio-fó dos outros. Torço pelo dia em que os irmãos Castro irão se encontrar no caldeirão com Polpot, Hitler, Stálin, Mao, Mussolini e outros que não conseguiram manter a tirania tanto tempo quanto eles.

  21. Luisiana Lamour Disse:

    Caro Sérgio
    Concordo com vc, quem acompanha o blog de Samarone, sabe que ele pode ser tudo ( do bem) menos chique, não faz mesmo o perfil dele.É uma pessoa que sempre denunciou as mazelas sociais e luta com seu trabalho educativo contra as mesmas.
    Luisiana

  22. tatiana pelinca Disse:

    Concordo plenamente com Luisiana e Sérgio.Abraço pra vc,Sama.

  23. ducaldo Disse:

    Sama, parabéns por mais um belo texto.

    Lamentável, sob todos os aspectos, a postura de Lula e da esquerda brasileira em relação ao espisódio e aos desmandos do regime cubano de forma geral.

  24. ducaldo Disse:

    Lula fez greve de fome em 1980, curtinha e com um resultado bem diferente:

    http://www.youtube.com/watch?gl=BR&feature=player_embedded&v=0W0XA2ndTq4

  25. ducaldo Disse:

    Quem te viu, quem te vê…

  26. ducaldo Disse:

    Perdão pelo logotipo da Veja.

  27. Lucas Disse:

    Samarone,

    Bastante salutar sua an’alise a respeito do que acontece em Cuba. Est’a na hora de se mostrar o outro lado da utopia socialista que por la impera. Sugiro que voce viaje ‘a Coreia do Norte para nos transcrever suas impressoes.

  28. bony inoue Disse:

    O homem é o lobo do homem. Continuaremos lutando pra matar este lobo, esteja ele em Cuba, Haiti, Rússia ou no Brasil.
    Um dia, isso tudo será uma triste lembrança, somente isso.

  29. Sirley Disse:

    Sama,
    li a entrevista contigo no Jornal do Comércio, sobre o episódio da morte do Orlando Zapata e o comentário de Lula.
    Concordo contigo, realmente nós é que podemos lamentar, um presidente com a história de Lula, deve e deveria ter usado de suas prerrogativas para ir mais além na defesa dos direitos humanos, e não apenas alementar, isso sim é lamentável.
    Abraços.

  30. Carlos J Disse:

    Samarone brigado por seu artigo e por seu libro, obrigado por sua defensa de nossos direitos, o dia 18 cumplen se 7 anos de a prisião injusta do grupo dos 75, que tal fazer um protesto pacifico ante a embaixada cubana, em reclamo a libertade dos prisioneros politicos em Cuba, a solidaridade e apoio dos brasileros defensores da democracia e fundamental para nos cubanos. Obrigado de coraão

  31. tesco Disse:

    Era pra se esperar que um homem eleito pela comunidade internacional como “Honem do ano”, procurasse interceder pelos direitos humanos em todo o mundo. Claro, não é pra resolver os problemas mundiais, principalmente em um só dia, mas ser mais uma voz a conclamar o mundo à paz e à justiça. Afinal, este mesmo personagem não clama pelo mundo que combatam a fome?
    Infelizmente, este “paladino” não se entusiasma por movimentos que outros tenham iniciado, apenas se comove com os de sua própria iniciativa (ou os que ele pensa que são).
    _Abraço.

  32. Karen Disse:

    Oi Samarone:
    Não lhe conheço,mas como cubana sinto-me comovida, pois percebo que você tem tido a capacidade de ver a realidade cubana tal e como ela é.Sinto-me muito triste e preocupada com a situacão em Cuba, mas ao mesmo tempo estou feliz porque o mundo está conhecendo a verdadeira cara do governo cubano, e as agonias que sofre o povo há 51 anos.Parábens Samarone,você está muito bem informado,e tem a honestidade de falar a verdade sobre Cuba.
    Várias pessoas da esquerda brasileira não acreditam nas minhas palavras, mesmo sendo cubana, quando eu expresso tudo o que acontece em Cuba, e o sentir do povo.Várias vezes tentei me explicar, mas não fui escutada.Hoje, quando leio as opiniões de você, a percepção de Cuba que somente num mês você consegueu, sinto que você é uma pessoa muito observadora, inteligente, muito humano, honesto e com os pés na terra.Você tem escutado a dor de um povo que sofre muito, que jamais foi tão infeliz como agora, que jamais passou tanta fome como agora, que jamais teve tanta carencia como agora, que jamais teve tanta falta de LIBERDADE como agora.
    A atitude do Lula Da Silva não foi a que o povo cubano esperava.
    Eu li sua reflexão sobre o Frei Betto e a Yoani Sánchez.Foi excelente.Eu também lhe respondi ao Frei Betto.
    Fico imesamente grata por falar no nome do povo cubano para um Brasil, que ainda não tem uma ideia clara das coisas que acontecem na ilha.Obrigada pela sua solidaridade e que DEUS LHE ABENCOE.

  33. Geraldo Dantas Disse:

    Estive recentemente na ilha,é pior do que se imagina. Seria bom que os “socialistas” e “comunistas” brasileiros, principalmente políticos e militantes desses partidos que se diz de esquerda e apoia esse sistema genocida castristas, fosse visitar Cuba, mas não se hospedasse num hotel cinco estrelas ou num resort. e sim numa casa de uma família cubana pra sentir a realidade do povo. E não adianta dizer que a culpa é do bloqueio, pois no Brasil não tem bloqueio e milhares de pessoas passam fome. Estendo o convite também para vários artistas e intelectuais, que cantam e lançam livros sempre em prol de fidel. Eu tive a sorte e a felicidade de passar 15 dias na casa de uma família cubana, mas a tristeza de ver e sentir a morte lentamente da população cubana, não só por falta de comida, também por liberdade em todos os sentidos.

Conversinhas

Nota: A moderação de comentários está ativada e isto pode retardar a publicação do seu comentário. Por favor, não envie o seu comentário novamente.